terça-feira, 16 de junho de 2015

MAIS RÁPIDO QUE UM SUPERSÔNICO, E ATÉ QUE A INTERNET...



“Ele envia as suas ordens a Terra, e sua palavra corre velozmente.” (Salmos 147:15)


   Há vinte e nove anos atrás, eu com minha família, começamos a viajar pelas estradas do Brasil, quando éramos missionários, nas viagens podíamos ler os ditados e frases típicas nos para-choques dos caminhões. Eram os mais variados tipos de dizeres. Alguns interessantes, com boas mensagens, outros muito sem graça, outros muito tolos, alguns pornográficos. Passado algum tempo, comecei a perceber uma mudança bem radical nesses dizeres.  A maioria, então, trazia versículos bíblicos ou frases, que incluíam o nome de Jesus, ou de Deus. Eu observei tal mudança e compartilhei com o pessoal de casa o que havia percebido. Todos passaram a observar o mesmo que eu.
Foi ali, que em primeiro momento, entendi o que a palavra de Deus profetizava: “...e sua palavra corre velozmente.” Era isso mesmo, a palavra de Deus estava correndo velozmente nos para-choques dos caminhões. Silenciosamente, mas correndo pelas estradas do Brasil. Deus começou a mudar a história de vida daqueles caminhoneiros, e assim, seus caminhões levariam de alguma forma, a palavra de Deus, mesmo que fosse por mera supertição, como amuleto. Fosse qual fosse a motivação, a palavra de Deus estava se cumprindo.

Sabemos que isso vem acontecendo desde os dias do invento do avião, que podia agilizar viagens mais rápidas de missionários, de pregadores da palavra. Como também, e mais ainda, com o invento do rádio e da TV. Sem que fosse preciso sair do lugar onde se estava a mensagem do evangelho poderia se espalhar com muita ligeireza.
O telégrafo, o correio, quanta coisa, Deus trouxe à existência, para que sua palavra pudesse chegar a todos os lugares com rapidez, ou tem alguém que acha que foi por outro motivo maior que Deus permitiu essas descobertas? Assim, esta profecia começava a se tornar realidade. 
Só que algo com muito maior alcance estava surgindo e que nada, do que mencionamos antes se compara com o que começou a ocorrer nestes tempo com a criação da internet, e os celulares, não é mesmo? Com que velocidade, hoje, em tempo real, podemos escrever mensagens, receber mensagens, ouvir, ver. É como se estivéssemos em todos os lugares ao mesmo tempo. Recebendo e dando informações, as mais variadas no mesmo instante. Dá a impressão que o nosso quintal se encurtou, somos uma aldeia global mesmo.

Assim, de modo incrível, podemos constatar que a palavra de Deus corre, mesmo velozmente. Uau, que coisa, surpreendente!

Só que eu descobri, que há uma maneira ainda mais incrível do que a internet, para que a palavra de Deus possa correr velozmente: Através da oração, a nossa fé nos aproxima e a mão de Deus opera de modo extraordinário, pois ela foi colocada em ação. 

A Bíblia nos dá vários exemplos disso: Uma certa vez um comandante do exército  romano,  chegou para Jesus e lhe disse a respeito do seu servo que era paralítico e sofria terrivelmente. Ele implorava a ajuda do Senhor Jesus, em favor do seu servo, ao que o Senho lhe responde que iria lá na casa dele curá-lo  O homem diz que não era digno de receber Jesus na sua casa. Fala, então, que bastava que Ele desse apenas uma ordem de onde estava e que seu servo seria curado. Então Jesus lhe disse: “Vá, seu servo está curado, como você creu assim acontecerá.” Quando aquele homem chegou em sua casa seu servo estava curado, porque Jesus deu uma ordem e sua palavra correu velozmente. O comandante perguntou a que horas o servo ficou bom, ao ser informado da hora, ficou confirmado que era a mesma de quando Jesus houvera dado a ordem. (Esta história está registrada em Mateus 8: 5-13 e em Lucas 7: 1-10)

Quantas outras histórias bíblicas nos falam sobre Deus enviando suas ordens a pessoas em determinadas situações. Elas aconteciam em tempo real, enquanto alguém intercedia. Como aconteceu enquanto aquele comandante intercedia por seu servo, Jesus enviara sua ordem de cura à terra do corpo daquele paralítico, e ele ficou são.

Numa outra ocasião Pedro estava preso e a igreja orava por ele incessantemente, conforme narrado em Atos 12:5 “Enquanto a igreja intercedia...”, Deus enviava sua ordem à terra daquela prisão, através de um anjo, que quebrou as correntes das suas mãos e o levou para fora da cadeia.

 Se continuarmos a tratar o que está escrito na palavra de Deus, como figura de linguagem perderemos a oportunidade de viver o sobrenatural de Deus. E o que é pior, impediremos que outras pessoas recebam a ordem milagrosa de libertação, de cura, de salvação, da palavra de Deus que corre velozmente.

Podemos até ver a palavra de Deus correndo velozmente pela internet, pelas rodas dos caminhões, pela TV, pelo rádio, isso é surpreendente! Deus, no entanto, nos dias de Jesus, de Paulo, dos primeiros discípulos, fez esta palavra correr de modo sobrenatural. 
Será, no entanto, pela nossa fé em ação, que esta palavra correrá velozmente de dentro de nós para nossa família; para a nossa parentela; para os nossos vizinhos. Até à esquina da nossa casa, no quarteirão, no nosso bairro, nas ruas da cidade por onde nossos pés caminham e, que podem ser formosos, como a Bíblia chama, quando a minha fé operante chega até aos meus amigos até além dos montes, dos mares, até chegar aos confins do mundo. E, como se fosse uma corrente de energia elétrica, vai passando de um para o outro dando luz, porque a palavra que é vida correu veloz e não parou mais...

Temos o hábito de ficar repetindo certos versículos da Bíblia, como chavões, mais parecem frases de efeito apenas. Não temos crido que tudo o que está registrado foi testificado e confirmado em Cristo, por aqueles que eram, exatamente, como nós, a diferença é a de que eles creram e puderam ver a palavra se cumprindo com rapidez e isso a conduziu rapidamente, velozmente e passou de um para o outro. Eles não usaram a desculpa de que não tinham como fazer isso por que não tinham  meios de comunicação de alta tecnologia.

Penso o quanto Deus fica triste, porque temos sido meros espectadores das experiências dos nossos irmãos do passado ou de alguns poucos do nosso tempo, porque ele nos quer a todos, como aqueles que farão o papel do povo que tem a palavra viva na sua boca, porque ela está viva no coração e a farão continuar a correr velozemente por meio de sua pregação, pela fé e oração incessante, contínua.

Então veremos se cumprir esta palavra rapidamente porque ela vai correr, voar velozemente.



 Denise Malafaia


domingo, 7 de junho de 2015

TAL MÃE, TAL FILHA!

 Como fazia Sara, que em tudo obedecia ao seu marido chamando-lhe de Senhor, da qual vos tornastes filhas, praticando o bem e não temendo perturbação alguma."  (1ª Pedro 3:6)


Estamos diante de um texto que apresenta um princípio bíblico fundamental para a vida da mulher.

Fala de uma Sara que, tendo experimentado as agruras da velha criatura, Sarai, e as consequências dos seus atos, veio a experimentar o tempo de nascer de novo e o tempo de andar obedientemente na presença do seu Deus. Ai, então, sabemos o que viveu...não é verdade? "...as coisas velhas já passaram, eis- que tudo se fez novo."

Quando Pedro faz menção à praticar o bem, nesta passagem, como em algumas outras como esta, a palavra bem, está se referindo ao que é certo. Vejam só: "...praticando o que é certo e não temendo perturbação alguma", se fosse bem no sentido mais usado, como fazer caridade, prestar socorro, seria muito pouco para não se temer perturbação, não é mesmo? Agora, o que pode nos impedir de não temer perturbação alguma, a não ser o fato de cumprirmos o que é certo? Como novas criaturas sabemos que o que nos deve direcionar é a palavra de Deus, que é a a vontade dEle para nós: Sermos filhos obedientes. Porque só pela prática da palavra é que nos afastaremos de temermos as perturbações que nos sobrevêm, ou das conseqüências delas. Foi assim com Sara, será assim conosco. Se tão somente praticarmos a palavra, obedecermos a palavra.


Quero, com esta mensagem, lembrar que precisamos como filhas obedientes de Deus, seguir o exemplo da mãe Sara. Ela viu as promessas que diziam respeito à sua descendência se cumprirem com o nascimento do seu filho Isaque, quando teve que esperar contra a esperança e pela fé, viu o grande dia chegar. Aleluia!


O que foi que Sara fez? Praticou a palavra; e viveu a palavra; e caminhou na palavra; e se alimentou da palavra. Obedeceu, sem restrições. Como resultado não temeu perturbação alguma.


Muitas vezes achamos que podemos fazer as coisas de Deus de qualquer maneira, ou da nossa maneira. Tomamos posições de acordo com os modismos ou com os conceitos da mídia, e ai depois ficamos dizendo: tomo posse do cumprimento das promessas de Deus na minha vida, estas palavras passam a ser chavões. Deus só tem compromisso com a Sua palavra. Ele cumprirá tudo o que promete, aos seus filhos, sim. Só que aos filhos desobedientes, teimosos, soberbos, vivendo de mãos dadas aos seus desejos carnais, com o que diz os desejos do seu coração, fora do que Deus disse, Ele não vai cumprir promessas de bençãos.


Há muita falácia por ai, sobre que Deus vai cumprir o que disse independente do que eu faça. Jesus disse que:" Aquele que tem os meus mandamentos, (ou a minha palavra) e os guarda, esse é o que me ama, e este será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a Ele." Quem não guarda, não obedece a palavra, não ama ao Senhor, logo, o amor do Pai não está nele. Este, "não é amado" é no sentido de abençoado, porque, simplesmente, não desfruta da presença do Deus Eterno, que é abençoador; e, "...não me manifestarei...", está relacionado ao fato de receber o cumprimento daquilo que Deus disse que faria.


O profeta disse para o rei Asa: "Porque quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a Terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo o coração é totalmente dele..."(2º Crônicas 16:9) Asa pensou que poderia tomar suas próprias decisões, porque afinal de contas Ele era um rei, e tinha feito tudo, sempre, direitinho por tanto tempo...mas Asa, resolveu confiar no rei da Síria, com seu exército super bem preparado, armado, para se livrar das ameaças do povo de Israel. Ele achou que poderia fazer como os outros reis, ele precisava ser um estrategista militar, afinal de contas, isso era comum aos governantes. Então, deixou de praticar a palavra de Deus, obedecendo-a, e a perturbação o alcançou. Deus tinha, ainda grandes promessas para ele e seu reinado, mas ele frustrou os planos de Deus, na vida dele, que não podem ser frustrados. A palavra do profeta prossegue e profetiza: "...nisto procedeste loucamente,(em desobedecer) por isso, desde agora, haverá gueras contra ti."


Sara não se tornou uma super heroina, não, ela continuou a ser frágil, sujeita as mesmas paixões que nós, como todos os homens e mulheres, mas seu coração era de alguém que buscou o Seu Deus, que confiou na Sua palavra, de alguém que se humilhou e esperou obedientemente na palavra, depois de tanto ter sofrido as consequências de sua desobediência.


Deus cumprirá o que disse, na sua palavra, mas Ele não contradiz o que Ele diz: " Se quiserdes e me ouvirdes comereis o melhor desta Terra." ( Isaías 1:19)


As bençãos de Deus em nossa vida, o cumprimento das suas promessas, estão condicionadas ao fato de que obedeço ou não a esta palavra:"...praticando o bem, e não temendo perturbação alguma." 


Esta é a benção das que são filhas de Sara, das mulheres que buscam cumprir os planos de Deus para sua vida.

Estas são aquelas que podem ser apontadas como tendo a cara da mãe: Tal, mãe, tal filha!

Denise Malafaia, pastora em Filhas de Sara

sábado, 6 de junho de 2015

EU...? EU VOU CORRER COM OS CAVALOS!

“Se te fatigas correndo com homens que vão a pé, como poderás competir com os que vão a cavalo...?” (Jeremias 12:5)




Os cavalos são sempre relacionados à força e agilidade. Na bíblia algumas vezes, encontramos referências da força deles e rapidez, mas outras encontramos exatamente o oposto. Até encontramos comparações que desmerecem essas suas qualificações, em relação a outros animais. Sabemos, no entanto, que quando não havia veículo automotivo, era o cavalo a base do deslocamento dos soldados na guerra pelos exércitos. Até hoje ainda temos nos exércitos o pelotão de cavalaria, por causa de sua grande utilidade. Os soldados montados a cavalo, são imprenscindíveis, pois existem lugares em  que carros motorizados não chegam. Sem contar que eles não dependem de combustível. Interessante que quando foram criados os motores desses mesmos carros, deram à força deles, em número de cavalos. Assim, determinado tipo de veículo motorizado tem uma determinada quantia de cavalos, quanto maior sua força mais cavalos. Então, chegamos à conclusão que, quem não tiver um veículo motorizado, mas tiver um cavalo pode estar em vantagem, pelo menos com quem estiver a pé, e dependendo do lugar e do veículo, até em relação a esses mesmos.

O profeta Jeremias estava aqui recebendo uma palavra de advertência do Senhor diante de seu sentimento de que estava só numa geração corrompida e perversa. Deus havia lhe dado a missão de profeta, mas muitas vezes ele apascentou o povo, porque estavam perdidos.

Aquele era um tempo muito difícil. Os fundamentos da fé, daquela nação, que se chamava pelo nome de Deus, havia desmoronado. Ele, Jeremias, era uma bendita exceção. Por isso Deus o havia levantado.

Jerusalém, a cidade santa, estava sitiada por inimigos que a haviam tomado, por causa dos pecados daquele povo, fazia parte da vontade permissiva de Deus. Jeremias se sentia inútil. O povo estava embriagado nos seus pecados e não os podia ver. Não só o povo em si, mas seus líderes, reis e sacerdotes, viviam sem compromisso com o seu Deus e não davam a mínima para as profecias de Jeremias. Pelo contrário, até o perseguia de maneira implacável.

O profeta era um intercessor inveterado. Homem íntegro, obediente, que buscava a Deus de coração sincero e humilde. Um desses homens raros, em tempos de crise e de  escassez, até de líderes com os quais Deus pudesse contar. Um profeta com vida de excelência. Um servo incansável no cumprimento da missão que recebera.
Só que nada mudava na vida daquele povo de coração endurecido. Eles queriam era ouvir falsos profetas e se indispunham quando Jeremias denunciava as mentiras e enganos desses profetas que Deus não mandara. Profetas que viviam a falar palavras que massageava o ego das autoridades e do povo. Como temos vivido um tempo assim hoje! Tempos em que parece que todos são abençoados,  independente da vida que levam entre a desonra ao nome de Deus e o prazer do pecado. “Profetas” que alisam o ego do seu público para terem ibope com uma mensagem triunfalista, em que os que não obedecem a Deus e vivem da maneira que escolheram viver, em detrimento da mensagem única da palavra de Deus, que mostra a benção  intimamente ligada a não transgressão da vontade soberana do Senhor, por isso o temem.

Deus fala com o profeta Jeremias, após suas queixas sobre a inutilidade do que estava fazendo,  porque o povo se afastava cada vez mais do Senhor, independente do que ele falava. Enquanto isso, sua vida estava sofrendo sérios riscos. Ele fala ao Senhor que não dava para continuar sendo complacente com aquele povo. Ele não poderia fazer nada se os perversos continuassem a prosperar no seu caminho, como se nada tivesse acontecendo. Assim seu trabalho seria em vão. Jeremias mostrava-se cansado de trabalhar com aquela gente cabeça dura. É ai, exatamente neste momento, que Deus lhe faz esta advertência cuidadosa: “Se te fatigas correndo com homens que vão a pé, como poderás competir com os que vão a cavalo...?” Deus toca o coração de Jeremias, que muda sua intercessão e seu pensamento de desistência da missão, mas não o povo.
Assim, muitas vezes tem acontecido conosco. Cansamos - nos de interceder pelos outros. Cansamos - nos de amar as pessoas que Deus colocou em nossa vida. Desistimos da nossa família, porque desistimos de cumprir nossa tarefa de esposa, marido, mãe, pai, filho, irmão. Desistimos da igreja de Cristo, porque desistimos de seguir a Cristo da maneira como ele diz que temos que fazer; desistimos, inclusive, do ministério que um dia tínhamos toda certeza que Deus nos chamou, para realizar.

É muito difícil seguir a Jesus e renunciar a tudo. Porque achamos que não adianta investir nosso tempo nas coisas que não trazem retorno em benefício próprio.

Já ouvi pessoas dizerem que se cansou de serem certos ou bons, porque todos são tão maus. Paulo vem como boca de Deus em nos encoraja: “Não nos cansemos de fazer o bem porque a seu tempo colheremos se não tivermos desfalecidos.” (Galátas 6: 9)

Às vezes, desistimos porque parece que não vamos conseguir cumprir o chamado que recebemos por parte de Deus... mas, não nos esqueçamos que, se retrocedermos Deus não terá prazer em nós.

Quantos têm cansado de serem filhos - servos de Deus. Esses estão a pé... Sim, porque há uma grande diferença em ser apenas filho de Deus. Você pode estar se perguntando, ser filho de Deus é pouco? Não, mas não encerra tudo para o qual o Senhor nos chamou. Porque quando fomos salvos, não fomos salvos para ficarmos acomodados à situação de filho, que acha que porque tudo é dele não precisa fazer mais nada, foi aqui que muitos se desviaram. Afinal de contas sou filho do dono. Deus não é permissivo. Ele não tem filhinhos de papai. Filhos que só pensam em ter, em receber. Que não estão nem ai para manter as coisas que são do Pai, que ele conquistou com trabalho. Jesus, o filho mais velho, o legítimo, disse certa vez: “Meu Pai trabalha até hoje e eu trabalho também.” Os filhos adotivos querem moleza, querem viver sem compromisso, sem zelo com as coisas do Pai. Esse não foi o caso de Jeremias, mas foi o caso do povo, que eram os filhos de Deus no velho testamento. Filhos rebeldes, cheios de soberba entre as nações, e esta precede à queda, já sabemos. Filhos cheios de manias de filho super mimados, ou filhos que são criados por avós.

Jeremias pode ser visto como a figura de Jesus, aquele que sofreu pelo povo e estava com risco eminente de morte, porque era fiel à sua missão de salvá-lo. Jesus, que indagou ao Pai, se ele não poderia passar dele o cálice amargo que ele deveria beber com a sua morte na cruz. Era como se ele estivesse dizendo como Jeremias: “Eu era como manso cordeiro, que é levado ao matadouro... Arranca-os como as ovelhas para o matadouro e destina-os para o dia da matança.” (Jeremias11:19 e 12:3)

O profeta Jeremias, assim, como Jesus não desistiu. Até mesmo diante da ordem de Deus para que ele não se casasse. Ele renunciou a tudo, até à sua própria “felicidade de homem”. Nunca constituiu família. O povo chamado de Deus reivindica uma felicidade a qualquer preço, mesmo ao preço de contrariar a vontade daquele que chama de Pai.

Como Jesus, Jeremias, se manteve obediente ao chamado e envio do Pai. Homens como Jeremias correm com os cavalos...

Deus nos salvou e nos deu nossa filiação sim, mas temos que ser filhos-servos. Ele precisa que seus filhos trabalhem obedientemente para que outros possam conhecê-lo, e à sua palavra. Fazer o Pai conhecido é a nossa missão, assim como foi a missão de Jeremias e a de Jesus. Filho obedece e servo também, nem um nem outro pode desobedecer ou, sofre as conseqüências da desobediência.

Diante de tudo isso, parece que ouço Deus dizendo para aqueles que querem desistir assim como Jeremias: Você irá recuar da competição diante dos obstáculos? Vai desistir quando descobrir que há muito mais a se fazer do que estar confortavelmente sentado à noite em seu sofá, assistindo os noticiários mostrando o caos do mundo e você numa boa?

Vai sair fora da  missão que recebeu porque você precisa ser feliz e, afinal de conta, você pensa que pode servir ao Senhor de qualquer jeito. Você decidiu que não vai perder tempo com pessoas com as quais não tem satisfação; porque como as coisas vão, não dá para ser alguém realizado? Parece que estou ouvindo Deus falar como falou a Jeremias: Você vai decidir entre ser cuidadoso com seus interesses, a proteger sua vida, ou corajoso para cumprir o que eu te mandei fazer até o fim? Eu tenho a impressão que Deus continua a dizer: Como alguém inteligente desiste do melhor? Eu preparei para os que não desistem, uma vida muito mais excelente. Sua desistência não será apenas uma desistência, mas desobediência,  e  toda a desobediência tem um custo muito maior no fim de tudo, não se esqueça meu filho!

Então, o que você vai decidir: Vai desistir do chamado e do que Deus preparou pra você, ou vai correr com os que vão  a cavalo e perseguir o ideal de viver uma vida de excelência para a glória de Deus?


Denise Malafaia 



quinta-feira, 4 de junho de 2015

METANÓIA!

“E não vos conformeis com este mundo...” (Romanos 12: 2)





Observando a trajetória do homem e da mulher, sabemos, não só pelo que a Bíblia diz, mas pelo que vemos, desde que o pecado entrou na natureza humana, ambos perderam a identidade com Deus, ficaram vulneráveis aos reveses da queda, e adoeceram. Não somente a vida humana adoeceu, mas como diz Paulo: “Porque sabemos que toda a criação, a um tempo, geme e suporta angústias até agora.” (Romanos 8:22)
Tudo ficou doente por aqui...
Quando Jesus veio, e fez acontecer os propósitos de Deus de resgatar a identidade do homem e da mulher para que este se parecesse com Ele, e leva-lo de volta para o Pai, deu forma à igreja, como Seu corpo.
Os papéis originais para os quais homem e mulher foram criados, na verdade se perderam em sua essência. O tempo foi passando e o que aconteceu? Será que temos consciência destes papéis, do ponto de vista do que Deus planejou, ou ficamos com os conceitos que surgiram com as culturas das diversas sociedades?
“Fomos transportados do império das trevas para o reino do Filho do amor do Pai.”  Agora somos do reino de Deus, que tem as leis próprias desse reino, que precisam ser cumpridas. A vontade do Rei desse reino está relatada na Palavra que foi escrita, e que nos fala dos planos de Deus. Esta é a única verdade que deveria prevalecer para homens e mulheres na vida da igreja. Esta verdade é absoluta e não pode ser trocada pela verdade que muda de acordo com tempos, povos, costumes e cultura.
          Há uma inversão de valores, que comprometem o exercício diário dessas verdades absolutas, pelas relativas verdades. Como se fosse algo inofensivo, coisas que, se não vivenciadas, aparentemente, não trarão grandes problemas, é o que pensamos...
Na sociedade natural, estas verdades não fazem diferença, pois ela não sabe distingui-las.
Nossas atitudes como igreja, não podem ser alteradas por conta do que é estabelecido no sistema do mundo, que é o império das trevas de onde fomos tirados, quando cremos e recebemos o Senhor desse novo reino, dirigido por Satanás.
Para a sociedade cristã, no entanto, no caso da igreja, as coisas mudam de figura. Passam a ter o sentido exato. Deus nos fala através de Salomão que: “Porquanto há uma hora certa de agir, e também uma maneira certa de agir para cada situação; porquanto é grande o sofrimento que pesa sobre o homem.” (Eclesiastes: 8:6). Sendo assim, há uma maneira certa para agir. E quando não agimos dentro dessa maneira, as consequências são inevitáveis. Nós a conhecemos lendo a palavra, que é o único manual fidedigno para a igreja. 
Desde a queda do homem, várias coisas têm se perdido neste universo da vida que foi nos dada como presente de Deus. A igreja entrou no meio da roda viva do “isso é assim mesmo”. Acontecimentos que trouxeram uma nova visão para o povo, chamado povo de Deus: a visão do sistema mundial. Foi aí que a igreja começou a caminhar no secularismo, quando o comportamento passou a ser norteado pelas ideologias, pela filosofia, bem como, nos últimos séculos pela mídia. Ficamos parecidos com o mundo. Deixamos de ser e de viver segundo o que Deus determinou.
Fomos feitos à semelhança de Cristo. Ele é a nossa identidade.
Assim como somos identificados com Cristo, fomos feitos para o mesmo propósito e recebemos a mesma missão dEle. (Isaías 61: 1-4)
Nos perdemos dentro da chamada “igreja”, por conta do secularismo. O mundo entrou dentro de nós. Perdemos a visão de Deus e do Seu reino e da Sua vontade.
        Não conhecemos Deus e nem o que Ele fez por nós: “Errais não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus”, Jesus disse certa vez.
Vivemos dentro da igreja de um sistema religioso viciado, mas a igreja que Deus planejou não vive dentro de nós. Então, isso significa que entramos numa forma errada. Essa não é a forma de Deus, então, de quem será essa forma? A igreja precisa voltar ao princípio, voltar à forma original.
O Espírito falou, pela boca do profeta Daniel, algo tremendo: “Aos violadores da aliança ele perverterá, mas o povo que conhece seu Deus se tornará forte e ativo.” (Daniel 11:12) Muitas vezes mencionamos o lado negativo do conhecer Deus, dos registros de Oséias: “O meu povo está sendo destruído porque lhe falta conhecimento...”. (Oséias 4:6) Tanto em Daniel como em Oséias o vocábulo conhecimento tem o mesmo significado, mas em Oséias ele aparece ligado à destruição, aponta o resultado negativo. Prefiro mencionar o que ocorrerá se eu tiver esse conhecimento positivo. Sabe o que isso quer dizer? O conhecimento de Deus é algo que age positivamente. Viveremos vida saudável. Precisamos abrir nossos olhos para o que é a realidade da Palavra de Deus e o que temos vivido como realidade.
Ao contrário do que era para ser, vemos homens e mulheres, famílias inteiras doentes, feridas, destroçadas, mesmo vivendo dentro da igreja. Pessoas que não se sentem felizes, completas... Quantos têm vivido de aparência, vivendo um evangelho sem poder, que até parece inútil... Como, se o evangelho é o poder de Deus para todo aquele que crê? Em quem está o defeito, a culpa...? O que aconteceu conosco?
Estamos doentes. Este é o tempo de cura para a igreja de Cristo, onde tanto mulheres, como homens, independentes de idade e estado civil, precisam de restauração. do renovo que vem pela cura que encontramos apenas na palavra de Deus. Precisamos conhecê-la como revelação, na nossa intimidade.
        É tudo tão simples no plano de Deus para que mulher e homem sejam felizes. Amados, não depende de ter, mas de ser. Não temos apenas Cristo, mas somos, de alguma maneira, Cristo. Daí sermos chamados de cristãos. Somos membros do corpo de Cristo. Sabe o que isso significa? Está tudo à nossa disposição. Ele já fez tudo o que era preciso para que nós pudéssemos ser livres, curados e salvos, e felizes, aleluia!
Como podemos fazer do corpo de Cristo um corpo adoecido, ferido, fragmentado, dilacerado? “Por que continuar a ser castigados? Por que insistirem na revolta? A cabeça toda está ferida, todo o coração está sofrendo. Da sola do pé ao alto da cabeça não há nada são; somente machucados e vergões e ferimentos abertos, que não foram limpos, nem enfaixados, nem tratados com azeite.” (Isaías 1:5,6)
 Como continuamos doentes se temos a cura para as nações?
Não podemos continuar a nos conformar com as coisas como estão: tudo fora do lugar.
A desobediência trouxe a desordem à Terra, e ambas trouxeram a morte.
A ordem de Deus pela boca de Paulo é: Não se conformem, mas se transformem!
 Este é o tempo de mudanças radicais, de obediência, é tempo de tempo de cura, de renovo para a igreja de Cristo, para mulheres e homens.
É tempo de nos adornarmos para a chegada do noivo.



              Denise Malafaia    (Texto extraído do livro: Tal Mãe, Tal Filha de Sara, de minha autoria)



As mais lidas da semana