domingo, 10 de fevereiro de 2013

Quando Deus depõe a nosso favor







“Então perguntou o Senhor a satanás: De onde vens? Satanás respondeu ao Senhor e disse: De rodear a Terra e passear sobre ela. Perguntou o Senhor a satanás: Observastes o meu servo Jó? Porque não há na Terra ninguém semelhante a ele...” (Jó 1:7,8)

Já pensou nesta cena: Satanás, o acusador dos filhos de Deus, chega diante de Deus como quem não quer nada, e diz que vinha de rodear a Terra, quer dizer, marcando território à nossa volta?
Deus que sabe tudo, que criou tudo, inclusive Satanás, que era o guardião da luz, Lúcifer. É claro, que Deus sabia o que ele queria dizer sobre estar dando uma rodeada na Terra. De que ele estava era de tocaia para investir contra algum filho de Deus. O apóstolo Pedro descreve esta atividade de Satanás, parecida com a de um leão buscando sua presa, e por isso está ao nosso derredor buscando oportunidade adequada para dar o golpe fatal.
Deus pergunta-lhe, então: “Observastes meu servo Jó?” Ai então, o Senhor prossegue dando um depoimento impressionante a respeito daquele seu filho-servo: “Servo integro, como não há outro na Terra, reto, temente a Ele, que se desvia do mal.” Fico fascinada com este Deus, ual!!!!
O que ele fala a respeito de Jó, mostra quem Ele é, o Pai que se alegra com seu filho. Pai presente, ali, de olhos bem abertos para ver cada passo dos seus filhos, por isso Ele é chamado de Deus Emanuel, Deus conosco. Bem presente em todo o tempo da nossa vida. Ele sabe quem somos. Conhece a nossa individualidade e particularidades. Ele nos conhece nos mínimos detalhes. Nosso nome sobrenome, ele se interessa com tudo o que diz respeito aos seus filhos. Ele não dorme nem tira um cochilo como nos diz o rei Davi em seu salmo 21.
A pergunta direta que fez a Satanás a respeito de Jó, e a sua pressa em dar, como se uma resposta Ele mesmo, se adiantado ao que aquele acusador, poderia falar. Ele resolve dizer logo para aquele fofoqueiro de plantão, mostrando que não adiantava vir falar mal do seu servo porque Ele o conhecia muito bem.
 Não precisamos ter medo quando lemos na Bíblia de que Deus está nos vendo em tudo o que fazemos. Devemos nos alegrar, pois isto revela o quanto Ele se preocupa conosco. Ao contrário de Satanás.
O Senhor sabia qual era a intenção daquele inimigo, pois Ele sabe de tudo. O fato de ter Deus permitido que aquele seu filho fiel fosse provado com duras e para nós, aparentemente, insuportáveis provas. Por muito menos quantos resolvem falar contra Deus e desprezá-lo!
Satanás queria provar que Jó não era tão fiel assim. Deus queria provar que ele era tão fiel sim, para fazer valer seu depoimento. Alguém disse que Deus não prova seu filho pra reprová-lo, mas sempre para aprová-lo e dar a ele maiores honras, até mesmo diante do inferno. Que pai deseja ver seus filhos sofrendo e reprovados na escola da vida?
Como se não bastasse o levante de desconfiança ou a alfinetada de satanás, para atacar Jó, houve uma aliada, que não conseguiu conter sua boca, a mulher de Jó. Que ficou viva para que a prova àquele servo de Deus fosse ainda mais contundente. Num momento de grande dor, no qual certamente, ela também estava sentindo, vem a sentença maior para Jó: “Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoe a Deus e morre.” Ela quis instigar Jó contra Deus: De que vale a sua integridade, homem? Satanás nem precisou falar isso para ele. Ela se encarregou de fazê-lo. Aqui começa a caminhada de Jó rumo a dias bem piores do que aquele em que perdeu tudo, inclusive os filhos, porque quem ficou com ele, não tinha condições de ajudá-lo a passar pela prova. Além da esposa blasfema, ele foi cercado de alguns “amigos da onça”. Só que Jó  apresentou logo suas armas: “...temos recebido o bem do Senhor e não receberíamos o mal?”
Podemos observar que Jó, durante a prova que passou, teve altos e baixos. Ele não foi perfeito, porque afinal de contas não somos perfeitos. Caso contrário não seríamos humanos, mortais. Jó teve momentos como o de qualquer mortal, de queixas, de lamentações. Sabemos, no entanto, que ao final de tudo ele foi aprovado.
Ele declarou humildemente, após tanto sofrimento e lutas, que antes Ele só conhecia o Senhor Deus de ouvir falar, mas que após tudo o que passou o conhecia por experiência própria. Um dia eu tive uma experiência assim, incrível com Deus e passei a fazer esta afirmação: Hoje, os meus olhos te vêm, Senhor!
 Imaginem, aquele mesmo homem que recebeu da boca de Deus diante de seu acusador, um depoimento tão forte de servo fiel, agora declarando que não tinha, ainda conhecido aquele Deus tão de perto: “...agora meus olhos o vêem.” Se ele diz ter visto Deus com seus próprios olhos, e não mais através do que havia ouvido outros dizerem, isso nos fala de um Deus que estava com ele, presente. Com certeza, pode sentir seu cuidado em todo o tempo daquele prova. Esta verdade fica bem clara quando declara: “mas eu sei que o meu Redentor vive e por fim se levantará sobre a Terra.” (Jó 19:25)
Fico imaginando tal cena: Ali mais uma vez, Deus e Satanás. Deus, exaltado por seu servo Jó que o honrou, e que também foi honrado por Deus, mais uma vez diante daquele que brama como leão, o  destruidor, o acusador foi envergonhado. Aleluia!
Não nos esqueçamos que sempre somos vigiados por nosso inimigo feroz. Que não quer apenas nos acusar, mas nos roubar, matar e destruir. Mesmo nos vendo rodeados de pessoas prontas a nos infringir um peso ainda maior na prova, ele investe com maior fúria por saber quem nós somos. Não nos esqueçamos, nunca e principalmente, que Deus não nos deixa sós nos tempos difíceis. Ali mesmo, no tempo de adversidade, quando parece que não vamos agüentar, podemos vê-lo com nossos olhos, na nossa experiência própria, lembra? Deus sabia tudo sobre seu filho, servo fiel Jó, no mais íntimo do seu ser. Satanás só sabe aquilo que ele vê por fora, mas nosso Deus sabe de nós nos mínimos detalhes. O apóstolo Paulo disse que, ele não nos deixará ser  tentados além das nossas forças, aleluia!
A história de Jó termina com o relato de que “Mudou o Senhor a sorte de Jó, quando este orava pelos seus amigos...” Ele orou pelos que, o perseguiram pelos que o acusaram e “Deus abençoou seu último estado de vida mais que o primeiro....”
Aquele servo foi fiel e mostrou o quanto amava a Deus, sendo fiel àquela esposa, e foi com ela que Deus lhe deu outros filhos, porque ele sabia que o Senhor se agrada da fidelidade nos relacionamentos. Depois ele sabia que a fé da sua esposa dependia da dele. Ele era o sacerdote da família. “Ele viveu muito tempo e morreu farto de dias.” Sabe o que isso quer dizer? Que Deus restituiu tudo na vida dele. Sua velhice foi frutífera e sua vida foi de grande colheita.
 Esta história ecoa em todos os tempos e em todos os lugares. Imaginem no inferno como isso incomoda a Satanás! Ter que ouvir esta história para sempre. Uma história que fala da vida de um filho de Deus mortal, comum, como eu e você, que venceu em meio a situações de lutas inimagináveis de alguém suportar. De como ele, Satanás foi envergonhado para sempre na vida daquele servo, sobre quem Deus havia dado um depoimento incrível: “Observastes meu servo Jó?” Como quem dissesse: Eu tenho um filho que me honra. Com aquele orgulho de pai que conhece mesmo o filho.
Deus está nos observando e pronto para dar um depoimento incrível a nosso respeito. Ele não espera que sejamos fortes e perfeitos, mas que dependamos dele, sendo-lhe fiel e crendo que Ele está vivo e que já se levantou sobre a Terra a nosso favor!


Denise Malafaia Cerqueira

As mais lidas da semana