sexta-feira, 3 de julho de 2015

HERDANDO O VENTO

  "O que perturba a sua casa herda o vento..."

                                                      (Provérbios 11:29)



Uma certa vez, sentada em meu sofá, a TV estava ligada, e uma dessas novelas globais estava sendo repetida. Mesmo não gostando de novelas, e não tendo o hábito de acompanhá-las, não pude ficar indiferente ao que um dos personagens estava dizendo. Essa tal novela é aquela que fala da história da clonagem. Alguns dos seus personagens são da religião islâmica. Achei interessante quando alguém mencionou que determinada pessoa, havia jogado sua família, e sua própria vida  no vento com seu comportamento inconsequente.

Foi ai que reparei este versículo de Provérbios, e pensei, não é que eles têm razão!

Só que Salomão fala que alguém que perturba a sua casa, esse é quem herda o vento. 

Isso não quer dizer que o que ele vai herdar é o nada, não, viu?
 O que o provérbio está dizendo é que essa pessoa vai herdar é muita confusão para si mesmo. Sua herança será uma vida emaranhada, como aquele novelo de lã que vai parar nas mãos do gatinho e ninguém mais acha o fio da meada. É, é mais ou menos assim.

Paulo declara que tudo o que nós plantarmos vamos colher. Então, quem planta vento colhe tempestade. Que herança terrível, queridos!

Verdade é que, ainda que o pior aconteça com quem perturba a sua casa, a casa que é perturbada, na maioria das vezes, fica dentro de um verdadeiro redemoinho. Uma ventania de tristeza, de insegurança, de dor, de decepção, de angústia...

Quantas famílias têm sido destruídas pelo egoísmo, pela falta de amor, de renúncia; pelo desprezo, pelo adultério, pela mentira; pelas drogas, pela prostituição; pelo ciúme, intriga, pela violência. 

Vivemos num tempo em que a própria sociedade está jogando a família no vento. Com políticos que elaboram leis que vão contra os princípois de Deus, o criador da família. Eles não têm ideia do que estão formando para as futuras gerações. Vendo o que tem acontecido hoje neste presente século, que muitas outras pessoas vão herdar o vento, não apenas por perturbarem suas próprias famílias, mas a de muitos outros, o que é ainda pior. Até porque estão brincando com o que o Deus vivo criou...
Sabe aquele ditado: o feitiço vira contra o feiticiero, é isso que pode vir a acontecer.

Quantas famílias desestruturadas pelo pecado, que uma vez consumado gera a morte.
 Normalmente, porque cabeça e corpo, marido e esposa, que são os pais, se esqueceram que a eles foi dada a missão de cuidarem do jardim, onde Deus os colocou. Consequentemente, têm trazido perturbação às suas casas porque se esqueceram de que a maior responsabilidade é a deles.

Chamo isto de a síndrome de Adão e Eva, a história que se repete. Só que mesmo que eles tenham herdado o vento, por trazerem perturbação não apenas à sua família, mas a toda a humanidade, Deus trouxe a oportunidade para eles e para todos nós de recomeço. 
Deus é o Deus da 2ª chance, mas isso não significa um plano B, já que os planos de Deus , que são sempre o A, não podem ser frustrados.

Ele é o Deus que trouxe até nós a oportunidade de termos as nossas famílias e as nossas vidas recriadas em Cristo Jesus. "A glória da segunda casa será maior do que a primeira", glória a Deus!

Não podemos nos esquecer, no entanto, do princípio da semeadura: "Tudo o que plantarmos vamos colher",  de todo o modo, temos que arcar com a herança do que semeamos.  

Deus declara, no entanto, que aos que o buscam com um coração quebrantado e contrito ele não desprezará. 
Há um caminho de volta. O caminho do arrependimento. Quer dizer sair do caminho em que está, de vento, e ir por um outro caminho onde a tempestade não nos alcançará.. Só assim podemos caminhar em frente, contrários ao vento, porque Deus afirma que sarará a nossa terra, a nossa vida. 
 Sim, eu creio que ele sarará a casa, a família dos que O buscam assim, do seu modo, não do nosso. Tem que ser do jeito que está escrito, porque "o que Deus diz é o que importa".

Nossas atitudes e escolhas determinam a nossa herança. 
Que herança queremos  ter? 
Vale a pena pensar a respeito disso...

Denise Malafaia



As mais lidas da semana