quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Indiana Jones, Matrix, Missão Impossível, Senhor dos Anéis...? Que nada, esta aventura é muito melhor!






“Os anjos, não são todos eles espíritos ministradores enviados para servir aqueles que hão de herdar a salvação? (Hebreus 1:14)

Sabe aquelas histórias de aventura que toda a criança gosta de ouvir, ou de ler ou, aquele filme que gostamos de assistir cheio de efeitos especiais? Então, assim é quando vivemos a vida que Deus preparou para todo aquele que nele crê. Porque o que Deus nos deu foi a sua própria vida.
Será que é preciso dizer mais alguma coisa?
O apóstolo Paulo diz na sua carta aos Efésios 1:3: “...Que Deus nos tem abençoado com toda a sorte de benção espiritual, em Cristo Jesus.” Entenda isso: é nossa, toda a sorte de benção espiritual. Tudo está à nossa disposição. É só tomarmos posse de cada benção. A presença de anjos servindo àqueles que herdarão a salvação está incluída no pacote de toda essa sorte de benção, aleluia!
Quando Jesus passou quarenta dias no deserto, onde foi tentado todo o tempo pelo diabo, ele experimentou uma batalha espiritual em cima da outra. Foram dias de muita tribulação: fome, sede, cansaço, sono, fadiga física e emocional, ataque e contra ataque.
Jesus venceu o inimigo e toda a investida contra a sua vida, com a palavra. Esta mesma palavra que diz que temos acesso a tudo o que Deus preparou para seus filhos. Por meio dela conhecemos tudo e desfrutamos de toda a sorte de benção.
Jesus conhecia a arma que possuía e fez uso dela, e isso o seguiu em todo tempo em que viveu nesta Terra.
O evangelista Mateus diz que após Jesus ter vencido toda aquela prova, os anjos vieram e o assistiram, quer dizer o serviram (cap. 4:11).
O Pai sabia de tudo o que seu Filho precisaria para se recuperar daqueles dias de luta. Sim, Ele sabia e sabe de tudo o que precisamos para viver neste mundo, que tem sido dominado pelo maligno.
Por isso, Ele que pensou em tudo e sabendo de tudo, providenciou que tivéssemos uma vida sobrenatural aqui. Acima do natural, para enfrentarmos as investidas de um inimigo que também, não é natural.
Isso não tem nada há haver com culto de anjos. Anjo não é para ser cultuado, porque eles são criaturas, logo não são para serem adorados e não temos que lhes pedir nada. Quem dá ordens aos anjos é o Senhor Deus.
Tantos são os relatos bíblicos que fazem menção de anjos servindo aos filhos de Deus.
Entre tantas histórias a respeito deste fato, Elias foi um deles, a quem Deus enviou um anjo para que ele pudesse comer e beber em tempo de medo, por causa da perseguição em que fugia e se escondia da fúria de Acabe e Jezabel, reis de Israel.
Outro a quem Deus enviou anjos para servir foi Ló. Deus destruiria Sodoma e os anjos foram até àquela cidade tirá-lo com sua família para que não fossem destruídos também. Os que não creram e não tomaram posse do que Deus providenciara para eles, ao enviar seus anjos, pereceram.
A palavra de Deus continua a mesma, e esta promessa continua a vigorar. 
Quantas vezes eu e minha família desfrutamos desta benção no nosso dia-a-dia. Mencionávamos a promessa e tomávamos posse dela e lá vinha um anjo para nos servir.
Algumas vezes ao vivo na forma de mecânicos de carro. Algumas vezes em que nosso carro deu problema na estrada, mesmo tendo passado por todos os cuidados necessários para a viagem, víamos essa sorte de benção entrar em ação. Quando não tínhamos dinheiro para mais gastos, pelo menos na estrada, porque o dinheiro havia sido consumido pelos gastos inesperados, então o Senhor mandava esses ministradores para nos servirem.
Uma dessas vezes nosso carro, estava consumindo muito combustível e mal tínhamos andado em direção ao nosso destino. Se continuássemos daquela maneira o dinheiro que tínhamos, quer na mão ou no banco, não seria o suficiente para chegarmos. Pedimos, então, ao Senhor que enviasse seu anjo mecânico, para que visse aquilo para nós e que fosse de acordo com nossas posses. Paramos, assim, numa cidade chamada, Milagres, na Bahia. Logo que paramos, bem próximo a um posto de combustível, meu marido abriu o caput do carro e um homem se aproximou e perguntou o que havia acontecido. Ele disse que era mecânico e ficava ali próximo àquele posto para atender casos urgentes, principalmente naquele horário, quando em pequenas cidades do nordeste tudo fechava às 12 horas, para descanso e só reabria às 14 horas. Meu marido disse então que ele poderia ver o que estava acontecendo, embora até já imaginasse. Ao detectar o problema, que era o giglê totalmente aberto, ele disse que precisaria de outro.
Como as lojas estavam fechadas, não teríamos como comprar a tal peça. Sendo assim, o tal mecânico, improvisou um giglê com um pedaço de madeira que encontrou pelo chão. Colocou no lugar do giglê de verdade e disse que iríamos viajar bem, e que o combustível estava salvo, mesmo sendo nossa viagem longa, já que íamos para o Rio de Janeiro.
Perguntamos quanto nos custaria seu trabalho, ele nos disse que seguíssemos viagem e que o procurássemos na volta, depois de testado o serviço, então  lhe pagaríamos.
Eu e meu marido, nos entre olhamos, como que dizendo: é um anjo. Ele nos disse seu nome, que não era nome de anjo, mencionando que todos o conheciam por aquela redondeza, e que estava sempre naquele mesmo lugar há muitos anos.
Nosso carro, um Monza, rendeu 18 por 1 a partir daquele momento.
Ao retornarmos de viagem, o procuramos. Perguntamos a todos naquele posto, que ficava à beira daquela estrada, em outros postos, em oficinas mecânicas e, nada, ninguém nunca ouvira falar sobre o tal mecânico, ninguém o conhecia naquela pequenina cidade: Milagres. Então, tínhamos a certeza do que recebemos: a assistência de um anjo que Deus enviara, cumprindo sua palavra.
Nunca mais deixamos de usar também, esta “toda sorte de benção” providenciada pelo Pai. Foram anjos para toda a sorte de necessidade: anjo técnico em conserto de máquina de lavar; anjo que me protegeu numa caminhada em dia de sol escaldante e de tamanho cansaço, que parecia mais que eu estava num deserto, vendo até miragem. Cheguei ao meu destino como se houvesse uma grande árvore frondosa me servindo como um guarda-sol e como se tivesse sido carregada nos braços do vento, com direito a água e tudo; anjo carregador de malas em rodoviária, que surgia do nada e se punha como um fiel escudeiro, até me colocar dentro do transporte que me levaria até ao aeroporto, etc.
Quem quer viver aquém de tudo isto? Eu não quero, tomei esta decisão um dia.
Deus é tremendo e providenciou tudo para nós, queridos!
Que tal viver nesta Terra o sobrenatural que Deus nos deu, essa tal “toda sorte de benção espiritual”?
O Senhor Jesus declarou certa vez que, “os sinais seguiriam aos que cressem...”
O que está faltando para nós, que o Pai, já não nos tenha dado?
Entre nesta grande aventura: a vida cristã que Deus, em Cristo Jesus, preparou para nós, aleluia!


Denise Malafaia

As mais lidas da semana