domingo, 7 de junho de 2015

TAL MÃE, TAL FILHA!

 Como fazia Sara, que em tudo obedecia ao seu marido chamando-lhe de Senhor, da qual vos tornastes filhas, praticando o bem e não temendo perturbação alguma."  (1ª Pedro 3:6)


Estamos diante de um texto que apresenta um princípio bíblico fundamental para a vida da mulher.

Fala de uma Sara que, tendo experimentado as agruras da velha criatura, Sarai, e as consequências dos seus atos, veio a experimentar o tempo de nascer de novo e o tempo de andar obedientemente na presença do seu Deus. Ai, então, sabemos o que viveu...não é verdade? "...as coisas velhas já passaram, eis- que tudo se fez novo."

Quando Pedro faz menção à praticar o bem, nesta passagem, como em algumas outras como esta, a palavra bem, está se referindo ao que é certo. Vejam só: "...praticando o que é certo e não temendo perturbação alguma", se fosse bem no sentido mais usado, como fazer caridade, prestar socorro, seria muito pouco para não se temer perturbação, não é mesmo? Agora, o que pode nos impedir de não temer perturbação alguma, a não ser o fato de cumprirmos o que é certo? Como novas criaturas sabemos que o que nos deve direcionar é a palavra de Deus, que é a a vontade dEle para nós: Sermos filhos obedientes. Porque só pela prática da palavra é que nos afastaremos de temermos as perturbações que nos sobrevêm, ou das conseqüências delas. Foi assim com Sara, será assim conosco. Se tão somente praticarmos a palavra, obedecermos a palavra.


Quero, com esta mensagem, lembrar que precisamos como filhas obedientes de Deus, seguir o exemplo da mãe Sara. Ela viu as promessas que diziam respeito à sua descendência se cumprirem com o nascimento do seu filho Isaque, quando teve que esperar contra a esperança e pela fé, viu o grande dia chegar. Aleluia!


O que foi que Sara fez? Praticou a palavra; e viveu a palavra; e caminhou na palavra; e se alimentou da palavra. Obedeceu, sem restrições. Como resultado não temeu perturbação alguma.


Muitas vezes achamos que podemos fazer as coisas de Deus de qualquer maneira, ou da nossa maneira. Tomamos posições de acordo com os modismos ou com os conceitos da mídia, e ai depois ficamos dizendo: tomo posse do cumprimento das promessas de Deus na minha vida, estas palavras passam a ser chavões. Deus só tem compromisso com a Sua palavra. Ele cumprirá tudo o que promete, aos seus filhos, sim. Só que aos filhos desobedientes, teimosos, soberbos, vivendo de mãos dadas aos seus desejos carnais, com o que diz os desejos do seu coração, fora do que Deus disse, Ele não vai cumprir promessas de bençãos.


Há muita falácia por ai, sobre que Deus vai cumprir o que disse independente do que eu faça. Jesus disse que:" Aquele que tem os meus mandamentos, (ou a minha palavra) e os guarda, esse é o que me ama, e este será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a Ele." Quem não guarda, não obedece a palavra, não ama ao Senhor, logo, o amor do Pai não está nele. Este, "não é amado" é no sentido de abençoado, porque, simplesmente, não desfruta da presença do Deus Eterno, que é abençoador; e, "...não me manifestarei...", está relacionado ao fato de receber o cumprimento daquilo que Deus disse que faria.


O profeta disse para o rei Asa: "Porque quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a Terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo o coração é totalmente dele..."(2º Crônicas 16:9) Asa pensou que poderia tomar suas próprias decisões, porque afinal de contas Ele era um rei, e tinha feito tudo, sempre, direitinho por tanto tempo...mas Asa, resolveu confiar no rei da Síria, com seu exército super bem preparado, armado, para se livrar das ameaças do povo de Israel. Ele achou que poderia fazer como os outros reis, ele precisava ser um estrategista militar, afinal de contas, isso era comum aos governantes. Então, deixou de praticar a palavra de Deus, obedecendo-a, e a perturbação o alcançou. Deus tinha, ainda grandes promessas para ele e seu reinado, mas ele frustrou os planos de Deus, na vida dele, que não podem ser frustrados. A palavra do profeta prossegue e profetiza: "...nisto procedeste loucamente,(em desobedecer) por isso, desde agora, haverá gueras contra ti."


Sara não se tornou uma super heroina, não, ela continuou a ser frágil, sujeita as mesmas paixões que nós, como todos os homens e mulheres, mas seu coração era de alguém que buscou o Seu Deus, que confiou na Sua palavra, de alguém que se humilhou e esperou obedientemente na palavra, depois de tanto ter sofrido as consequências de sua desobediência.


Deus cumprirá o que disse, na sua palavra, mas Ele não contradiz o que Ele diz: " Se quiserdes e me ouvirdes comereis o melhor desta Terra." ( Isaías 1:19)


As bençãos de Deus em nossa vida, o cumprimento das suas promessas, estão condicionadas ao fato de que obedeço ou não a esta palavra:"...praticando o bem, e não temendo perturbação alguma." 


Esta é a benção das que são filhas de Sara, das mulheres que buscam cumprir os planos de Deus para sua vida.

Estas são aquelas que podem ser apontadas como tendo a cara da mãe: Tal, mãe, tal filha!

Denise Malafaia, pastora em Filhas de Sara

As mais lidas da semana