quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Indiana Jones, Matrix, Missão Impossível, Senhor dos Anéis...? Que nada, esta aventura é muito melhor!






“Os anjos, não são todos eles espíritos ministradores enviados para servir aqueles que hão de herdar a salvação? (Hebreus 1:14)

Sabe aquelas histórias de aventura que toda a criança gosta de ouvir, ou de ler ou, aquele filme que gostamos de assistir cheio de efeitos especiais? Então, assim é quando vivemos a vida que Deus preparou para todo aquele que nele crê. Porque o que Deus nos deu foi a sua própria vida.
Será que é preciso dizer mais alguma coisa?
O apóstolo Paulo diz na sua carta aos Efésios 1:3: “...Que Deus nos tem abençoado com toda a sorte de benção espiritual, em Cristo Jesus.” Entenda isso: é nossa, toda a sorte de benção espiritual. Tudo está à nossa disposição. É só tomarmos posse de cada benção. A presença de anjos servindo àqueles que herdarão a salvação está incluída no pacote de toda essa sorte de benção, aleluia!
Quando Jesus passou quarenta dias no deserto, onde foi tentado todo o tempo pelo diabo, ele experimentou uma batalha espiritual em cima da outra. Foram dias de muita tribulação: fome, sede, cansaço, sono, fadiga física e emocional, ataque e contra ataque.
Jesus venceu o inimigo e toda a investida contra a sua vida, com a palavra. Esta mesma palavra que diz que temos acesso a tudo o que Deus preparou para seus filhos. Por meio dela conhecemos tudo e desfrutamos de toda a sorte de benção.
Jesus conhecia a arma que possuía e fez uso dela, e isso o seguiu em todo tempo em que viveu nesta Terra.
O evangelista Mateus diz que após Jesus ter vencido toda aquela prova, os anjos vieram e o assistiram, quer dizer o serviram (cap. 4:11).
O Pai sabia de tudo o que seu Filho precisaria para se recuperar daqueles dias de luta. Sim, Ele sabia e sabe de tudo o que precisamos para viver neste mundo, que tem sido dominado pelo maligno.
Por isso, Ele que pensou em tudo e sabendo de tudo, providenciou que tivéssemos uma vida sobrenatural aqui. Acima do natural, para enfrentarmos as investidas de um inimigo que também, não é natural.
Isso não tem nada há haver com culto de anjos. Anjo não é para ser cultuado, porque eles são criaturas, logo não são para serem adorados e não temos que lhes pedir nada. Quem dá ordens aos anjos é o Senhor Deus.
Tantos são os relatos bíblicos que fazem menção de anjos servindo aos filhos de Deus.
Entre tantas histórias a respeito deste fato, Elias foi um deles, a quem Deus enviou um anjo para que ele pudesse comer e beber em tempo de medo, por causa da perseguição em que fugia e se escondia da fúria de Acabe e Jezabel, reis de Israel.
Outro a quem Deus enviou anjos para servir foi Ló. Deus destruiria Sodoma e os anjos foram até àquela cidade tirá-lo com sua família para que não fossem destruídos também. Os que não creram e não tomaram posse do que Deus providenciara para eles, ao enviar seus anjos, pereceram.
A palavra de Deus continua a mesma, e esta promessa continua a vigorar. 
Quantas vezes eu e minha família desfrutamos desta benção no nosso dia-a-dia. Mencionávamos a promessa e tomávamos posse dela e lá vinha um anjo para nos servir.
Algumas vezes ao vivo na forma de mecânicos de carro. Algumas vezes em que nosso carro deu problema na estrada, mesmo tendo passado por todos os cuidados necessários para a viagem, víamos essa sorte de benção entrar em ação. Quando não tínhamos dinheiro para mais gastos, pelo menos na estrada, porque o dinheiro havia sido consumido pelos gastos inesperados, então o Senhor mandava esses ministradores para nos servirem.
Uma dessas vezes nosso carro, estava consumindo muito combustível e mal tínhamos andado em direção ao nosso destino. Se continuássemos daquela maneira o dinheiro que tínhamos, quer na mão ou no banco, não seria o suficiente para chegarmos. Pedimos, então, ao Senhor que enviasse seu anjo mecânico, para que visse aquilo para nós e que fosse de acordo com nossas posses. Paramos, assim, numa cidade chamada, Milagres, na Bahia. Logo que paramos, bem próximo a um posto de combustível, meu marido abriu o caput do carro e um homem se aproximou e perguntou o que havia acontecido. Ele disse que era mecânico e ficava ali próximo àquele posto para atender casos urgentes, principalmente naquele horário, quando em pequenas cidades do nordeste tudo fechava às 12 horas, para descanso e só reabria às 14 horas. Meu marido disse então que ele poderia ver o que estava acontecendo, embora até já imaginasse. Ao detectar o problema, que era o giglê totalmente aberto, ele disse que precisaria de outro.
Como as lojas estavam fechadas, não teríamos como comprar a tal peça. Sendo assim, o tal mecânico, improvisou um giglê com um pedaço de madeira que encontrou pelo chão. Colocou no lugar do giglê de verdade e disse que iríamos viajar bem, e que o combustível estava salvo, mesmo sendo nossa viagem longa, já que íamos para o Rio de Janeiro.
Perguntamos quanto nos custaria seu trabalho, ele nos disse que seguíssemos viagem e que o procurássemos na volta, depois de testado o serviço, então  lhe pagaríamos.
Eu e meu marido, nos entre olhamos, como que dizendo: é um anjo. Ele nos disse seu nome, que não era nome de anjo, mencionando que todos o conheciam por aquela redondeza, e que estava sempre naquele mesmo lugar há muitos anos.
Nosso carro, um Monza, rendeu 18 por 1 a partir daquele momento.
Ao retornarmos de viagem, o procuramos. Perguntamos a todos naquele posto, que ficava à beira daquela estrada, em outros postos, em oficinas mecânicas e, nada, ninguém nunca ouvira falar sobre o tal mecânico, ninguém o conhecia naquela pequenina cidade: Milagres. Então, tínhamos a certeza do que recebemos: a assistência de um anjo que Deus enviara, cumprindo sua palavra.
Nunca mais deixamos de usar também, esta “toda sorte de benção” providenciada pelo Pai. Foram anjos para toda a sorte de necessidade: anjo técnico em conserto de máquina de lavar; anjo que me protegeu numa caminhada em dia de sol escaldante e de tamanho cansaço, que parecia mais que eu estava num deserto, vendo até miragem. Cheguei ao meu destino como se houvesse uma grande árvore frondosa me servindo como um guarda-sol e como se tivesse sido carregada nos braços do vento, com direito a água e tudo; anjo carregador de malas em rodoviária, que surgia do nada e se punha como um fiel escudeiro, até me colocar dentro do transporte que me levaria até ao aeroporto, etc.
Quem quer viver aquém de tudo isto? Eu não quero, tomei esta decisão um dia.
Deus é tremendo e providenciou tudo para nós, queridos!
Que tal viver nesta Terra o sobrenatural que Deus nos deu, essa tal “toda sorte de benção espiritual”?
O Senhor Jesus declarou certa vez que, “os sinais seguiriam aos que cressem...”
O que está faltando para nós, que o Pai, já não nos tenha dado?
Entre nesta grande aventura: a vida cristã que Deus, em Cristo Jesus, preparou para nós, aleluia!


Denise Malafaia

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

EU PRECISO SER FELIZ...ENTÃO, BORA SER FELIZ!



                

        “Tu ordenastes os teus mandamentos para que o cumpramos à risca.” 
                   (Salmos 119:4)

Recomeçando minha leitura da Bíblia toda, o que já faço há algum tempo, e nada se compara com isso. Aliás, precisamos fazer isso se quisermos conhecer e ter mesmo intimidade com Deus. Sua visão sobre Deus vai se alargar.
Então, lendo os livros da Lei, vemos Moisés passando as ordens que recebera de Deus para o povo enquanto caminham pelo deserto. Ele começa a fazer isso desde o livro de Êxodo, com os dez mandamentos e repete em Levíticos dando mais informações. Continua a falar em Números entremeando com histórias empolgantes, e em Deuteronômio faz como se fosse um resumo da trajetória do povo e menciona algumas leis. Amplia a visão dessas leis para os mais jovens, para aqueles que entrariam na terra prometida, já que seus pais haviam morrido no deserto.
São muitas leis, são muitos detalhes. Porque é assim mesmo que se fazem as leis de um povo.
Usando de um método didático o da repetição, Moisés, a utiliza como estratégia para que o povo assimilasse tudo. Repetir, repetir, repetir. É claro que, na verdade esse era o método de Deus. Dizem que isso é uma lavagem cerebral... Este é um método muito utilizado na educação, quando se fixa o conteúdo através de constantes exercícios. Alguém disse que é bom repetir um ensino até que aquilo se torne um hábito. O próprio Moisés declarou isso: “Estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração, tu a inculcarás a  teus filhos, e delas falarás assentado e tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te...” (Deuteronômio 6:6,7)
Jesus mencionou sobre a nossa oração que, “não seria por muito falar que, seríamos  ouvidos”.  Ao contrário disso, Moisés tinha esperança que aquele povo ao ouvirem aquelas ordens repetidamente, as fixassem bem dentro de suas mentes e as aprendessem para depois não dizer que ele não disse.
Só que por mais que a tática fosse executada tão bem por Moisés e Arão também, aquele povo vivia tropeçando, no quesito obediência.
Moisés estava sempre lembrando que aquelas palavras não eram dele, mas do Senhor, por isso ele sempre, ou começava ou terminava seus ensinamentos declarando: Assim diz o Senhor...
Uma coisa que me chama a atenção,  eram os detalhes minuciosos de tudo. Como as medidas dos lugares, dos objetos. Onde seriam exatamente colocadas cada peça, cada utensílio, como seriam feitos tudo o que comporia o tabernáculo: as cortinas, o véu, coberta, os tapetes, bacias, altar, arca, etc. As roupas dos sacerdotes, suas medidas, material a ser usado, como e quando usariam.  As especiarias, as medida que comporia o óleo da unção, o azeite do candelabro; a hora, o dia o ano para tudo que dizia respeito às festas, aos sacrifícios, às ofertas. Tudo sobre os animais que seriam trazidos para o sacrifício, para as ofertas. Muitas e muitas outras coisas, tudo detalhadamente.  
Além dos detalhes de cada item das leis, afinal de contas esta era a carta magna do povo de Deus. Leis que iam dirigir e fazer funcionar a nação de Israel. Isso é normal, pois é assim que acontece em todas as nações ao fazerem suas constituições. Só que no caso de Israel, o que envolvia fazer as leis, ainda era mais séria, pois isso dizia respeito ao ato de adorar a Deus e viver como povo do Deus único e soberano, que não divide sua glória com ninguém. Por isso, tantos detalhes...
A tônica era que todos os estatutos,  preceitos, mandamentos, item por item, deveriam ser seguidos  sem falhar em nenhum deles sequer. Nada poderia ser esquecido ou omitido, pois isso dependeria o relacionamento do povo com Deus. Ali não se tratava de uma constituição qualquer, mas da constituição na verdade, de um povo que tinha sido formado exclusivamente por Deus e para Deus. É algo muito grande para nossa pequena compreensão de meros mortais. Extrapola o nosso entendimento.
Deus, o criador dos céus e da Terra, havia criado um povo que era seu, particular. Pode parecer, então,  muito difícil ter assim esse compromisso de ser povo de Deus. Mal comparando é como dizer que alguém é o filho do presidente dos EUA, então este filho tem que representar bem seu pai. Não pode fazer feio. Deu para entender?
Quando leio esta passagem fico pensando na dimensão desta responsabilidade. Eu disse que era mal comparando o exemplo anterior, porque é algo muito pequeno mesmo. O presidente dos EUA é um mortal como nós. Mesmo tendo muitos poderes, ele não tem todo o poder, nem de longe.
Parece difícil ter esta responsabilidade, mas vejamos o tamanho do Deus de quem somos povo!
O povo de Israel não poderia deixar de cumprir nada do que estava escrito, isso pode parecer muito difícil, muita coisa para se obedecer, para se cumprir, mas quem estaria com eles? O mesmo que criou o céu e a Terra. Aquele que eles viram muito bem quando o mar vermelho se abriu e eles passaram em seco, com as próprias águas servindo de muro de contenção para que elas não chegassem até eles,  ali no meio do mar Deus havia feito uma estrada. Aquele que dava água para que eles bebessem onde as águas eram amargas e onde só haviam rochas secas. Onde os poços estavam secos e, muitas vezes nem havia poço e, tanto poço como água brotava mediante o ajuntamento do povo e os louvores que entoavam. Aquele que saciou a fome de carne com as codornizes que vieram com o vento que soprara do mar e encheram todo o arraial; e de pão com uma substância nunca vista antes no deserto, ou em qualquer outro lugar da terra e que viera do céu, literalmente. Sinais e milagres que teríamos que ficar escrevendo e escrevendo, páginas e mais páginas com todos os relatos destas maravilhas, que a gente pode encontrar lendo a Bíblia.
Para este seu povo exclusivo Deus preparou coisa exclusivas. Coisas que só ele, o povo exclusivo de Deus, teria acesso a esta vida de maravilhas, vida de excelência. A condição era apenas uma: Obedecer à risca tudo o que Ele havia ordenado.
Fiquei meditando nesta palavra à medida que lia o texto que fala ordem por ordem, cada mandamento, os estatutos e preceitos. Fiquei pensando como na maioria das vezes quero fazer as coisas do meu modo. Então, argumento com Deus. Pondero e decido fazer de um jeito que é até parecido com o que Deus mandou... Eu penso que não preciso ser tão radical. Não é que fosse algo errado, é bom e, é até justo do ponto de vista ético, não havia nada de mau, mas não era o que Deus queria que eu fizesse. Sabe o que acontece? Eu até, aparentemente julgo não ter problema nenhum, porque afinal de contas, não se tratava de cometer um “pecado”, eu penso, mas ordens de Deus não foram cumpridas á risca. Deus é Deus e,
suas palavras são as sua palavras, elas têm valor eterno, só isso.
Tenho aprendido que Deus não desperdiçaria tempo para deixar registrado na Bíblia nada que não fosse importante. “Seus mandamentos trazem luz aos nossos olhos... são verdadeiros e justos.” Não podemos nos esquecer que ele é a própria sabedoria.
Lembro bem da história do rei Saul quando recebera uma ordem de Deus para guerrear contra um rei que era inimigo do povo de Israel. O Senhor lhe disse tudo que deveria  fazer nesta guerra,  mas ele só cumpriu parte da ordem recebida, porque achou que da maneira que ele faria daria melhores resultados para o seu reino, seria tão bom, ele pensou. Só que a maneira dele agir não era o que Deus o mandara fazer. Então ele foi rejeitado por Deus e seu reinado foi tirado da  sua descendência. Deus lhe fala pela boca de Samuel: “A desobediência é como o pecado de feitiçaria... Como você rejeitou a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.” (1ª Samuel 15:23)
Todas as vezes que deixamos de cumprir as ordens de Deus estamos rejeitando a sua direção, isso é rebelião. Estamos dizendo que os planos de Deus não são tão bons quanto os meus. Digo com esta atitude que ele não é tão poderoso assim, tão soberano assim, e sua palavra não tem valor...
Na verdade, quando deixamos de seguir à risca as ordens de Deus estamos desprezando o melhor de Deus para nós. Asafe declara isso em um dos seus salmos: “Ah! Se o meu povo me escutasse; se andasse nos meus caminhos? Eu te pronto lhe abateria o inimigo... eu o sustentaria com o trigo mais fino e com o mel da rocha eu o satisfaria.”(Salmos 81: 11,14, 16)
Como somos soberbos, e logo para com Deus! 
Quanta tolice, não é mesmo? 
Ser feliz é uma decisão nossa, e  é a vontade de Deus para nós. Então, é só seguir o manual de Deus...vamos lá, bora ser feliz!


Denise Malafaia


terça-feira, 14 de janeiro de 2014

HEI, NÃO ORE DA SUA MANEIRA, NÃO!



Hoje é mais um dia para orarmos sem cessar, queridos, então o que estamos esperando?
Lembremos, no entanto, que não há como orarmos da nossa maneira, mas de como Deus nos orientou a orarmos.
Existem coisas que impedem a nossa oração, amados. Deus não ouve quando não obedecemos suas regras. 
Muita gente está orando em vão, ou oramos do modo de Deus, ou nada feito.
A base do trono de Deus, é juízo e justiça, isso mesmo. A base do governo de Deus, o seu modo de agir, é por juízo e justiça e não por amor.
Tudo o que está escrito, é exatamente a justiça de Deus,que fala do juízo sobre aqueles que descumprem suas ordens, logo, tudo será cumprido.
Assim, não podemos orar do modo que achamos interessante, conveniente, bonito, frases de efeito. Deus não ouve esse tipo de oração.
Tem que ter a base certa, base que denota a autoridade para que oremos: juízo e justiça.
Hoje começaremos a pensar sobre aquilo que impede que Deus atenda a nossa oração.

Impedimentos, leia o texto da palavra e analisemos:

(OS IMPEDIMENTOS ESTARÃO EM LETRA DE FORMA, DIFERENTEMENTE DO RESTANTE)

No dia seguinte, de manhã cedo, Jesus e os discípulos passaram perto da figueira e viram que ela estava seca desde a raiz. Então Pedro lembrou do que havia acontecido e disse a Jesus:
— Olhe, Mestre! A figueira que o senhor amaldiçoou ficou seca.
Jesus respondeu:
— Tenham fé em Deus. Eu afirmo a vocês que isto é verdade: vocês poderão dizer a este monte: “Levante-se e jogue-se no mar.” SENÃO DUVIDAREM NO SEU CORAÇÃO, mas crerem que vai acontecer o que disseram, então isso será feito.
Por isso eu afirmo a vocês: quando vocês orarem e pedirem alguma coisa, creiam que já a receberam, e assim tudo lhes será dado.
E, quando estiverem orando,PERDOEM AOS QUE O OFENDERAM, para que o Pai de vocês, que está no céu, perdoe as ofensas de vocês.

Sendo assim, queridos, atentemos para o que está escrito e não andemos perdendo tempo orando de qualquer maneira, o nosso.
Jesus cumpriu toda a justiça estabelecida pelo Pai para ser resposta do mesmo Pai, ao clamor do homem que estava em trevas. Só Ele poderia fazer. Deus não tinha outra resposta.
Hoje, a igreja que é a representante do Pai na Terra, tem a resposta dEle aos homens. Só cumprindo toda a justiça que já está escrita.
Queremos ter as respostas de Deus e ser a resposta de Deus na Terra?
Pensamos que vamos receber praticando o nosso achismo?

Deixemos todo embaraço e corramos à carreira que nos está proposta em Cristo Jesus.

Denise Malafaia.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

PUREZA X IMPUREZA

Uma Palavrinha aos pais...



Uma luta começou a ser travada entre: Deus e o Diabo. Esta luta começou a ser travada no Éden, quando o pecado tragou o homem do céu e o levou até o inferno. Dai em diante a luta entre o bem e o mal; o bom e o mau; o legal e o ilegal; o certo e o errado, teve início. 

Isso levou o homem a  viver uma vida diferente daquela que Deus planejou, que era igual a dEle, vida de santidade. Então, distante de Deus a santidade não existia mais. Foi, então, que Deus enviou seu Filho, prometido, para  levar o homem de volta pra Ele mesmo, muitos foram encontrado e voltaram porque creram e receberam de volta a vida de Deus, a santidade. Aquela luta travada desde a queda do homem no Éden, no entanto, ainda está sendo travada e muitos cedem e voltam à queda. 

Assim a santidade ou a pureza, trava uma luta sem trégua contra o profano ou a impureza.

Vivemos tempos difíceis. Sem precedentes na luta de pureza x impureza. Vale lembrar que, "sem santidade ninguém verá o Senhor".

Já vai longe o tempo em que a banalização dos valores morais  e éticos estavam fora da igreja de Cristo. 

Hoje, os dias estão tão difíceis, que esta banalização já faz parte da experiência daqueles que estão dentro da igreja. 

O secular alcançou o chamado povo separado por Deus, pois temos achado tudo muito normal e, o anormal que só existia fora, agora, encontrou seu espaço dentro dos nossos arraiais. 

Em todas as idades isto tem alcançado grandes proporções, mas entre os mais jovens, nem se fala. Os pais têm deixado os jovens para lá, porque, eles dizem: afinal de contas os tempos são outros... O que tinham que saber já lhes foi ensinado... agora é com eles... é algo parecido com: lavo minhas mãos...
Não podemos esquecer que, como pais cristãos, nossa missão de instruir no caminho vai até, "... quando for velho..."
Tenho observado coisas terríveis nas famílias que dizem amar, seguir e servir a Deus, conceitos iguais ao que vivem aqueles jovens que nunca receberam os ensinamentos de Cristo...

Querem ver? 

Coisas como: ser virgem e casar virgem; ficar com alguém ao invés de ter um compromisso sério; usar a lei da vantagem para tirar vantagens; beber bebida alcoólica socialmente; participar da noite em boates socialmente; ir a motéis com a namorada ou noiva porque vão casar mesmo... e por ai a fora. 

Assim pensamos em compartilhar algumas coisas aqui, que poderão ajudar a termos uma, não opinião própria, mas os conceitos bíblicos, a direção que vem da boca do Pai Eterno, já, que somos filhos dele. Filho que é filho, obedece. 

Quer sendo pais, ou responsáveis espirituais pelos jovens que estão na nossa família e na congregação dos salvos, precisamos lembrar de quem Deus pedirá contas das tarefas que ele colocou em nossas mãos, cada jovem que ele trouxe a nós, é uma tarefa para darmos contas. Então a começar de nós, pais, avós, tios, educadores, pastores, líderes, Deus requer obediência, então, que tal, se não estamos fazendo, começar a fazer. Aliás, que tal, não, é: Ou obedece, ou obedece. Com certeza, todos que assim fizermos, entre pais e filhos, "comeremos o melhor desta Terra", como está escrito. 

Vamos pensar numa das ordens, que é tão fundamental, que Deus deu e que está registrado na Bíblia. Que serve para direcionar, não apenas os jovens, mas, também, os pais, e todos os que têm responsabilidade diante de Deus sobre os mesmos. 

O texto abaixo foi extraído de estudoscristãos.com:

#Fugi da Impureza (1ª Coríntios 6:18)

12 Passos para se manter puro sexualmente !


#1: Encontrar um Mentor 
(ninguém melhor do que os pais, ou os líderes)
Caminhar sozinho é a melhor receita para você cair na impureza sexual. Não seja enganado pela vontade humana que quer ser livre e totalmente independente. Essa atitude é completamente estranha para os verdadeiros discípulos. Confiar em si mesmo é o primeiro passo para a queda. Procure amigos fieis e dispostos a investir em sua vida fazendo aquelas perguntas difíceis.
Sugestões:
1. Tome a iniciativa. A necessidade é sua. Não desista antes de tentar. Ore, pergunte, convide. Mas não espere ser convidado. Você é o maior interessado (bem, pelo menos deveria ser!).
2. Escolha alguém do mesmo sexo. Seja consciente. Construa esse relacionamento com alguém que pode de ajudar na caminhada. Certamente alguém do sexo oposto não poderá caminhar contigo muito longe.
3. Escolha alguém que tenha autoridade espiritual sobre sua vida. Claro que não é alguém perfeito, mas uma pessoa que te inspira a continuar na caminhada.
4. Encontre-se regularmente. Seja pessoalmente, seja por telefone ou por e-mail, torne os contatos regulares e próximos.
5. Aprenda a confessar. Esconder o erro é o que sabemos fazer de melhor. Mas a Bíblia diz que isso tem o poder de nos matar (Salmo 32.4). A confissão sempre será difícil mas é uma das ferramentas mais importantes na transformação do caráter do discípulo.
#2: Não se esquecer da sua Promessa
Dez ingredientes da Abstinência Sexual
1. Desenvolva seu relacionamento com Jesus Cristo
2. Conte aos seus pais a decisão que você tomou
3. Encontre-se regularmente com seu mentor
4. Apenas namore pessoas com mesmo nível de valores
5. Fuja de situações comprometedoras
6. Se pecar, procure confessar para seu mentor o quanto antes
7. Lembre-se: seu passado não determina seu futuro
8. Tente não cair, se cair levante
9. Não defraudar o sexo oposto
10. Decida ser puro AGORA, e não no meio da tentação

10 Características do Namoro Puro
1. Os valores, princípios e limites físicos do namoro estão escritos
2. Jesus é o centro do relacionamento
3. Os encontros nunca acontecem em lugares isolados
4. Os amigos sempre saem juntos
5. Têm um casal experiente como mentores
6. Não se coloca em situações tentadoras
7. Evita a posição horizontal (p.e., deitar no sofá pra assistir um filme)
8. Mantém as roupas bem fechadas e abotoadas
9. Nunca comprometem o Pacto de Pureza
10. Não dormem na casa um do outro
#3: Influenciar Outros
#4: Treinar-se nas Disciplinas Espirituais
#5: Lembrar-se da Segunda Chance
#6: Ser amigo de Deus
#7: Envolver-se com um Grupo de oração
#8: Viver a bíblia
#9: Não desistir quando você ficar fraco
#10: Dedicar-se no Servir
#11: Não cometer pornografia
#12: Não consumir pornografia

Que tal investirmos tempo em oração, conversa,  amizade profunda e sincera, amor sem hipocrisia e em estudos dinâmicos e profundos com os nossos jovens?
Então, junte-se a nós nesta jornada e, com certeza, vamos colher frutos maravilhosos desta parceria, tendo o Pai como Aquele que é fiel em cumprir sua palavra e dar o crescimento verdadeiro e esperado. Com certeza, teremos jovens fortes que se tornarão em adultos obedientes e, por isso felizes.
Paz  e graça a todos!

Denise Malafaia

NÃO É BOM QUE O HOMEM ESTEJA SÓ...



Deus criou homem e mulher para se relacionarem com Ele e uns com os outros. Este é o propósito fundamental da criação. Os relacionamentos devem ser baseados em confiança mútua. Satanás sabe disso . Ele entende que a razão da vida humana na terra é esta. Não pode haver sentido na vida de alguém se não houver relacionamento. Fomos criados dependentes uns dos outros . É impossível viver uma vida saudável isolada de outras pessoas. Necessitamos dar e receber afeto e atenção.
O ser humano quando nasce é totalmente vulnerável, e seria impossível sobreviver sem os cuidados de outra pessoa. Mesmo depois de alcançarmos autonomia , continuamos dependentes uns dos outros.
Você já ouviu falar da Síndrome de Estocolmo? Segundo a Psicologia , essa síndrome acomete vítimas de sequestros. A vítima passa a desenvolver uma certa identificação com o seu algoz , podendo até apaixonar-se por ele. Submetendo-se a um relacionamento que, em circunstâncias normais, seria impossível conceber. Segundo essa ciência, trata-se de um mecanismo de defesa da vítima. Essa situação extrema evidencia a necessidade humana de trocar afeto, de confiar , de se relacionar.
Há algum tempo venho refletindo sobre os relacionamentos humanos. O propósito de Deus era que fosse “muito bom” . No entanto, o que temos visto é que relacionamento é considerado, por quase todos,algo muito complicado. Observe as pessoas conversando em uma praça, em um ônibus, você perceberá que a maioria das conversas giram em torno de conflitos nos relacionamentos. Ocupamos a maior parte do nosso tempo discutindo os relacionamentos, mesmo sem nos dar conta disso. Dificilmente ouviremos alguém falando sobre como sua vida está boa, como os seus filhos são maravilhosos, como o seu marido é carinhoso ou sua esposa é compreensiva, como o seu chefe é uma pessoa generosa, como seus colegas são amigáveis e inteligentes. Faça uma estatística. Você não se surpreenderá.Em mais de 90% das conversas que você ouve no ônibus ou no metrô serão sobre sofrimento e incompreensão. Porque que será que o o propósito inicial de Deus não está se cumprindo na humanidade?
Se queremos entender as razões desse fato , devemos voltar às origens. Quando Deus criou o homem Ele tinha alguns propósitos bem claros em sua mente. Podemos encontrá-los no livro de Gênesis.
E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. (Gen 1:26-27)
O primeiro propósito se encontra, aqui, nessa passagem. Deus criou homem e mulher para juntos dominarem sobre toda a criação Dele. Para usufruírem das bençãos de Deus. Das maravilhas que Ele criou. Originalmente, Deus formou homem e mulher em igualdade de condições. Ambos deveriam usufruir igualmente das bençãos e dominarem em parceria sobre toda a terra. Para que isso funcionasse bem, era necessário que ambos andassem juntos, em uma só visão, sem discordância.
O segundo propósito também encontra-se neste capítulo:
E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.(Gen. 1:28)
Deus reafirma o primeiro propósito e acrescenta outros: frutificai e multiplicai-vos. Implícito nesse propósito se encontra um requisito:PRECISAM CONTINUAR JUNTOS. Para multiplicar é necessário relacionamento.
A OBRA CONFIADA A ELES EXIGIA QUE PERMANECESSEM EM UNIDADE.


Pra. Cláudia Helena de Oliveira, líder de Filhas de Sara 

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

PARA TODOS QUE DESEJAM VIVER OS SONHOS DE DEUS EM 2014

:



Temos vivido em tempos de apostasia. Tempos em que se estabeleceu um abandono às verdades absolutas da Palavra de Deus. 
Há uma inversão de valores, que comprometem o exercício diário dessas verdades absolutas, pelas relativas verdades. Como se fosse algo inofensivo, coisas que, se não vivenciadas, aparentemente, não trarão grandes problemas, é o que pensamos...
Este é o tempo de cura para a igreja de Cristo. Onde tanto mulheres, como homens, independentes de idade e estado civil, precisam de restauração, do renovo que vem pela cura que encontramos apenas na palavra de Deus, em conhecê-la na sua revelação, na nossa intimidade.
O Espírito falou pela boca do profeta Daniel, algo tremendo: “Aos violadores da aliança ele perverterá, mas o povo que conhece seu Deus se tornará forte e ativo.” (Daniel 11:12) Muitas vezes mencionamos o lado negativo do conhecer Deus, dos registros de Oseias: “O meu povo está sendo destruído porque lhe falta conhecimento...”.
Tanto em Daniel como em Oseias o vocábulo conhecimento tem o mesmo significado, mas em Oseias ele aparece ligado à destruição, aponta o resultado negativo. Prefiro mencionar o que ocorrerá se eu tiver esse conhecimento positivo. Sabe o que isso quer dizer? O conhecimento de Deus é algo que age positivamente. Deus não é negativo, mas nossas atitudes são.
É tempo de vivermos a vida saudável de quem está em Cristo. Precisamos abrir nossos olhos para o que é a realidade da Palavra de Deus e o que temos vivido como realidade.
É tudo tão simples no plano de Deus para que mulher e homem sejam felizes. Não depende de ter, mas de ser... Não temos apenas Cristo, mas somos, de alguma maneira, Cristo. Daí sermos chamados de cristãos, miniaturas de Cristo, segundo está registrado. Somos membros do corpo de Cristo. Sabe o que isso significa? Fazemos parte de algo sadio, pleno, ressuscitado, desprovido da possibilidade da morte, porque ela já foi vencida. Está tudo à nossa disposição. Ele já fez tudo o que era preciso para que nós pudéssemos ser livres, curadas e salvas, e felizes, aleluia!
Como podemos fazer do corpo de Cristo um corpo adoecido, ferido, fragmentado, dilacerado? Foi isso que Isaías constatou: “Por que continuar a ser castigados? Por que insistirem na revolta? A cabeça toda está ferida, todo o coração está sofrendo. Da sola do pé ao alto da cabeça não há nada são; somente machucados e vergões e ferimentos abertos, que não foram limpos, nem enfaixados, nem tratados com azeite.” (Isaías 1:5,6)
Como continuamos doentes se temos a cura para as nações?
Não há mais tempo. Este é o tempo de cura para a igreja de Cristo, para mulheres e homens.
É tempo de nos vestirmos de vestes novas, de nos adornarmos para a chegada do noivo!

Denise Malafaia Cerqueira

As mais lidas da semana